30 de jun de 2011

Ecocataratas tenta impedir Ato pela construção de viadutos na BR 277





A Ecocataratas, concessionária responsável pela rodovia, tentou impedir a realização do Ato Público pela construção de viadutos na tarde de hoje. A empresa entrou com a liminar na Justiça Federal, mas juíza Catarina Volkart Pinto negou o pedido. A decisão da juíza foi comunicada ao presidente da Câmara, Edílio Dall Agnol, no final da manhã.
Por telefone, o presidente confirmou que até o momento desconhecia o pedido da Ecocataratas. Segundo ele, foi o oficial de justiça que comunicou a decisão favorável ao ato.
“A juíza foi coerente em sua decisão porque entendeu que a manifestação é democrática e se faz necessária na cidade. É lamentável a atitude da concessionária e revela que não estão interessados na solução do problema. Não podemos permitir que a população fique á mercê de acidentes pela falta de compromisso dos responsáveis”, criticou Edílio.
De acordo com o presidente, apesar da chuva, a manifestação marcada para ocorrer a partir das 16 horas, está mantida. Caso aumente a chuva o evento será cancelado. “Estamos providenciando uma estrutura junto aos parceiros para  proteger os participantes da chuva”, comentou.
A Avenida Paraná entre a BR 277 e a Avenida Araucária (antiga Avenida 1) serão bloqueadas. A Guarda Municipal e o Foztrans vão dar apoio à organização do Manifesto. A orientação para os motoristas que precisam se deslocar até a Vila A ou da região norte sentido ao Centro de Foz do Iguaçu é utilizar as avenidas JK e Garibaldi (ao lado do CTG Charrua).
O Ato Público deve se estender até as 19h, com a distribuição de panfletos e adesivos a comunidade que sofre com os congestionamentos nas rotatórias e trevos do perímetro urbano da rodovia. O protesto quer chamar a atenção do Governo do Estado para a necessidade urgente de construção de viadutos na BR 277, oferecendo mais segurança aos usuários.

Julio Mocelin registrou acidente na BR 277, no trevo da Vila A
De acordo com o levantamento da Polícia Rodoviária Federal, em 2010, foram registrados 388 acidentes no perímetro urbano da rodovia em Foz do Iguaçu. O relatório da PRF aponta ainda 5 mortes e 263 feridos nessas ocorrências. O inspetor Marcos Pierre, observa os pontos de maior risco para motoristas e pedestres. “Infelizmente o trecho que vai da passarela de pedestres até o trevo da Avenida Costa e Silva é o local onde mais acontecem atropelamentos”, diz Pierre.
Na rotatória da Avenida Paraná com a BR 277, os patrulheiros constataram que a maior parte dos acidentes está relacionada a colisões traseiras e laterais. O excesso de velocidade é a principal causa das batidas. O maior fluxo de veículos na rodovia é registrado nas sextas e sábados, em média 18 mil automóveis trafegam em cada um desses dias entre a entrada de Foz do Iguaçu e a Ponte da Amizade, Km 719 ao Km 731. Os horários de pico dos congestionamentos são por volta das sete da manhã, meio-dia, 14 e 18 horas.
Com informações Assessoria da Câmara

** Ato foi transferido para o dia 12 de agosto em razão da forte chuva. (atualizado ás 16h30).

29 de jun de 2011

Ecocataratas afirma que construção de viadutos depende de autorização do Estado

 
 
A concessionária que administra o trecho da BR-277 de Foz do Iguaçu a Guarapuava informou a Câmara de Vereadores, por meio de um ofício, que a construção de viaduto no cruzamento da rodovia com a Avenida Paraná não faz parte das obrigações da concessionária.
 
A ECOCATARATAS ressalta, ainda, que depende de autorização do poder concedente, no caso o DER - Departamento de Estradas de Rodagem do estado, para a execução da obra, o que não consta no atual contrato. “Necessariamente implicará na revisão do equilíbrio econômico e financeiro do Contrato de concessão, nos exatos termos de sua cláusula”, diz o diretor superintendente da Rodovia das Cataratas S/A, Evandro Couto Vianna.
 
 Há mais de dez anos, o governo do estado privatizou a rodovia que agora é administrada pela ECOCATARATAS. A concessionária é responsável pela cobrança de pedágio; em troca, assumiu a obrigação de zelar pelo patrimônio objeto da concessão e garantir a continuidade na prestação de serviço com o trânsito livre na rodovia.
 
Sobre outro pedido urgente da comunidade da região oeste, a duplicação da BR-277 entre Medianeira e Cascavel, a ECOCATARATAS afirma que em 2004, o então governador Roberto Requião fez um acordo com a empresa para reduzir a tarifa do pedágio nas 5 praças e, em contrapartida, retirou do contrato as obras de ampliação do trecho.
 
A expectativa é que o atual governo reverta essa situação, uma vez que a ECOCATARATAS está disposta a negociar a retomada do projeto de duplicação. Quinze quilômetros de pistas duplas já foram aprovados e constam nos estudos.
 
Nesta quinta-feira, 30, durante o Ato Público “FOZ PEDE PASSAGEM, VIADUTOS JÁ”, a comunidade terá a chance de se manifestar sobre a necessidade dessas obras que vão trazer mais segurança para moradores e turistas que utilizam a rodovia. O manifesto será às 16h, próximo a rotatória da Avenida Paraná, sentido Vila "A" de Itaipu.
 
Assessoria Câmara

Arns promete que Estado assumirá a responsabilidade no transporte escolar, afirma Brasileiro


O prefeito em exercício, Chico Brasileiro, confirmou que o vice-governador, Flávio Arns, prometeu aumentar o repasse do Estado para o transporte escolar em Foz. Apesar de não ser sua responsabilidade, a prefeitura vem garantindo o transporte de alunos dos colégios estaduais, arcando com R$ 1,3 milhão por ano. O custo total do serviço é de R$ 2 milhões anuais.
Durante o ano passado, o Governo do Estado repassou R$ 700 mil. Em 2011,  Flávio Arns, que também acumula o cargo de secretário Estadual de Educação, assegurou, juntamente com o engenheiro e superintendente SUDE (Superintendência de Desenvolvimento Educacional), Jaime Sumie, que seria repassado R$ 1,4 milhão ao município.
Passou-se quatro meses, e nada mudou. Nesse período o Estado confirmou que estudava aumentar os recursos, mas que R$ 270 mil estavam garantidos até o final do ano, pouco mais de R$ 22 mil por mês.
A situação se tornou insustentável. A capacidade de bancar o serviço, atribuição do governo Estadual, comprometeu o orçamento do Município. Outros compromissos financeiros não seriam cumpridos caso a prefeitura mantivesse o serviço do transporte de alunos da 5 º e 8 º séries após o dia 1 º de julho.
Diante disso, Brasileiro marcou uma reunião em Curitiba e relatou a Flávio Arns que as empresas do transporte escolar já haviam sido comunicadas sobre a interrupção do serviço a partir de julho.
“ A solução está bem desenhada, pois o Secretário Estadual está assumindo todas as despesas decorrentes de alunos da rede estadual de ensino. No início da próxima semana deverão chegar até a Prefeitura, os documentos, confirmando o que foi acordado em Curitiba, que nos possibilitarão anunciar às empresas a continuidade do transporte. Tenho absoluta confiança no Secretário Flávio Arns, que irá resolver esta situação”, confia Brasileiro.
No início da próxima semana, uma comissão da Secretaria de Educação virá até Foz, e o próximo passo é o envio de documentos ao prefeito confirmando o acordo, ou seja, ratificando o valor do repasse, o que possibilitará a prefeitura anunciar ás empresas a continuidade do serviço. A próxima etapa é a realização de licitação. Vale frisar que a prefeitura exige que os ônibus estejam dentro das normas exigidas pela legislação.
Com  Blog do Lago

Chico Brasileiro sanciona projeto de lei dos cobradores de ônibus


O prefeito em exercício, Chico Brasileiro, sancionou no final da tarde de hoje uma lei aprovada na Câmara que reforça a garantia da manutenção da função dos cobradores nos ônibus coletivos.

Ele afirmou que não vê motivos para vetar o projeto uma vez que a proposta não contraria nenhuma diretriz do novo sistema e teve aprovação unânime dos representantes do povo, que são os vereadores. A lei do transporte já assegura o emprego dos cobradores, porém nessa fase de transição para o novo sistema determinadas linhas tiveram que ser atendidas provisoriamente com alguns microônibus, tendo o motorista fazendo a função de cobrador.

A lei reforça que a única exceção de ônibus sem cobrador serão as linhas denominadas de alimentadoras. A sanção do projeto deverá ser publicada no Diário Oficial até quinta-feira.Quanto ao movimento de paralisação dos ônibus em horários de menor movimento, o Município espera um entendimento entre as empresas e o sindicato em reunião marcada para as 10h desta quarta-feira.

AMN

Secretário da Copa acredita que fechamento do aeroporto prejudica candidatura de Foz


Em razão do nevoeiro, o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu permaneceu fechado na madrugada de ontem (28). O terminal voltou a operar ás 10h30. O problema atrasou a vistoria do engenheiro João Caetano, representante da Fifa, em outros estádios e centros de treinamento no Paraná.  

Vistoria dos representantes da Fifa no Estádio do ABC na tarde de ontem (Lucilia Guimaraes)
Na opinião do secretário de Estado para Assuntos da Copa, Mário Celso Cunha, o fechamento - durante quatro horas - prejudica a candidatura de Foz do Iguaçu. “O aeroporto de Foz fecha constantemente, tem muita neblina na região, principalmente nesta época. Até pode interferir na escolha. Foz do Iguaçu é uma cidade turística, que é muito famosa, e tem boa estrutura, dificilmente vai escapar de não ser indicada, apesar do problema do aeroporto”, disse em entrevista a Band News FM de Curitiba.
Os nevoeiros são comuns na transição do outono para o inverno.  A suspensão temporária dos vôos por causa do mau tempo atinge os aeroportos da Região Sul. Há 12 dias, o terminal Afonso Pena, em Curitiba, uma das cidades-sede da Copa 2014, também permaneceu fechado por nove horas.


É importante frisar que a Infraero conta com dois sistemas de auxílios de pouso para enfrentar condições meteorológicas adversas na capital. Trata-se do *Approch Light System (ALS) ou Sistema de Luzes de Aproximação e o *Instrument Landing System (ILS1 e ILS2) ou Sistema de Pouso por Instrumentos, nas categorias 1 e 2.
Já o aeroporto de Foz possui apenas um ILS Cat 1.  No projeto de modernização do terminal, articulado pelo **Fundo Iguaçu em parceria com o trade turístico e prefeitura, e que já recebeu parecer favorável na Infraero, está prevista a instalação do aparelho ILS Cat2. O valor do instrumento é de R$ 6 milhões. Nesta quantia estão incluídos outros equipamentos auxiliares, como, por exemplo: o Sistema de Luzes de Aproximação (ALS).



Pelo perfil do Facebook, o presidente do Fundo Iguaçu, Gilmar Piolla, comentou que mesmo com o sistema ILS2 dificilmente pousos e descolagens ocorreriam.
"Quando baixa nevoeiro em Foz, na maioria das vezes, nem instalando ILS 2 resolve. Estamos trabalhando por melhorias no nosso aeroporto de Foz, algumas pra Copa, outras, pra depois, mas de vulto, para garantir o crescimento sustentável do Destino Iguaçu”.
Segundo Piolla, o aeroporto de Foz apresentou o maior movimento de passageiros no país. A expectativa é de 500 mil embarques e desembarques por ano até a Copa 2014. “Estimamos que Foz vá receber durante os meses da Copa entre 70 mil e 100 mil turistas estrangeiros. Seremos, com certeza, um dos destinos da Copa”.

*O ILS emite um sinal para o piloto encontrar melhor a pista, e com apoio do ALS a aterrissagem fica mais segura. O equipamento na categoria 2 permite um pouso em uma distância igual ou superior a 400 metros.
** A ideia do Fundo Iguaçu é fazer uma verdadeira transformação no terminal, a exemplo de Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ), com a construção de nova pista, em substituição á atual, que será convertida em taxiway; instalação de fingers; reforma do terminal de passageiros, com ampliação das salas de embarque e desembarque; construção de dois hangares e de um novo terminal de cargas. O projeto está avaliado em R$ 400 milhões.

28 de jun de 2011

Bom senso venceu: Foz terá apenas uma equipe de Futebol Feminino



O Foz do Iguaçu Futebol Clube desistiu de disputar o campeonato paranaense de futebol feminino. A decisão foi divulgada pelo diretor Financeiro, Arif Osman,  em comunicado á imprensa. Desta forma, o Foz Cataratas, atual campeão estadual, será a única equipe representante da cidade. As Poderosas já foram vice-campeãs da Copa do Brasil e do Torneio Internacional Interclubes e recentemente campeãs do Torneio RPC TV Cataratas.

Há menos de dois meses, Osman defendeu a participação do clube em arbitral da Federação Paranaense. No último domingo, o dirigente mudou de opinião. "Não queremos jamais atrapalhar a outra equipe (Foz Cataratas) e se mantivéssemos esta posição, poderíamos dividir os torcedores".

Osman disse que já havia conquistado três patrocinadores. Também informou que havia acertado com o Duque de Caxias (RJ), atual campeão da Copa do Brasil. "Iríamos trazer o elenco do Duque de Caxias pra cá, mas entendemos que devemos pedir nossa desistência", recuou.

Mas, a ideia de montar uma espécie de time de aluguel não está totalmente descartada. "Como apenas eu e o presidente Loli (Loiri Dalla Corte), estamos administrando, ficaria difícil dar sequência aos planos do futebol feminino, pelo menos neste ano", deixou escapar o diretor.

Desde o início a própria imprensa foi contra a existência de duas equipes, como ocorreu no futsal, onde o Foz, antes uma grande potência da modalidade, perdeu prestígio, inclusive entre os próprios torcedores.


Em e-mail respondido ao Blog, o superintendente de Comunicação Social da Itaipu, Gilmar Piolla, principal articulador para criação do Foz Cataratas, ratificou a posição contrária a iniciativa.

“Não há espaço para duas equipes de futebol feminino em Foz do Iguaçu. O único compromisso que temos com o futebol feminino é com o time do Foz Cataratas, que tem o apoio do Luciano do Valle. Querem dividir, mas não vamos permitir que façam com o futebol feminino da nossa cidade o que fizeram com o nosso futsal: criaram dois times e agora não temos nenhum”, defendeu Piolla.

Desde maio, o Foz Cataratas mantém um núcleo de treinamento para meninas entre 11 e 18 anos. A estrutura demonstra o planejamento em revelar futuros talentos do esporte na cidade.

O Complexo Esportivo Xororó, na Vila A, é utilizado para os treinos. As atividades são acompanhadas  por profissionais com passagem pela seleção brasileira.

Com Gazeta do Iguaçu

Meia Maratona das Cataratas fomenta economia

Foto: Marcos Labanca

A 5ª Meia Maratona das Cataratas — “Troféu Cataratas do Iguaçu S/A 10 Anos”, no próximo dia 3 de julho, é a maior em número de inscritos desde a primeira edição, em 2007. A uma semana da corrida, mais de 1,7 mil atletas confirmaram participação. Esse recorde revela não somente o crescimento da prova, mas também ganhos importantes para a economia regional.

Do total de corredores, aproximadamente 90% vêm de fora da cidade, e centenas trazem pelo menos um acompanhante, dobrando o número de pessoas que gastam em Foz do Iguaçu e nas cidades vizinhas, como Ciudad del Este (Paraguai) e Puerto Iguazú (Argentina).

Outro fator que mostra o consumo de bens, produtos e serviços é o tempo de permanência dos atletas no município. Como a corrida é realizada sempre aos domingos, os participantes chegam com um ou dois dias de antecedência. Aqueles que trazem a família vêm geralmente na sexta, aproveitando para fazer turismo.

Para a presidente da ACIFI, Elizangela de Paula Kuhn, a quinta edição da Meia Maratona das Cataratas consolida a iniciativa, que se notabiliza por divulgar os atrativos de uma maneira muito saudável. “Ações como esta destacam positivamente a nossa cidade, e isso reflete na atração de mais visitantes e beneficia toda a cadeia econômica de Foz e região. A ACIFI parabeniza a Cataratas do Iguaçu S/A e o Instituto Chico Mendes de Biodiversidade por mais esta ação que alia turismo, meio ambiente, saúde e esporte.”

Segundo Marcelo Valente, diretor-comercial da Loumar Turismo — operadora oficial da Meia Maratona das Cataratas —, a venda de pacotes subiu 80% em relação ao ano passado. “Isso demonstra o interesse cada vez maior pela prova. Outro dado importante é que o tempo de permanência subiu de 1,5 dia para 2,7 dias em comparação com 2010”, salientou.

Alimentação — O setor gastronômico é um dos mais beneficiados com a corrida. De acordo com estimativa do presidente da Regional Foz da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), Paulo de Sousa, durante três dias são servidas perto de 12 mil refeições. Para ele, o ganho não se limita aos estabelecimentos, sendo transferido aos funcionários e movimentando a economia da região.


Carlos Silva (Foto: Divulgação)
O mesmo pensamento tem o presidente do Sindicato de Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares de Foz (Sindhotéis), empresário Carlos Silva. “A presença dos corredores e família proporciona uma boa distribuição de renda e torna o destino mais conhecido. A Meia Maratona das Cataratas já se firmou como um grande evento nacional, e colabora para fortalecer a imagem e vários segmentos da economia da cidade.”

Troféu — O nome do troféu da 5ª Meia Maratona das Cataratas do Iguaçu homenageia os dez anos da Cataratas do Iguaçu S/A — empresa responsável pelo ingresso dos visitantes no Parque Nacional do Iguaçu. Criada para incentivar o turismo e ajudar a preservar as belezas naturais na unidade de conservação, a concessionária comemorou uma década de operação em 2010.

A realização da 5ª Meia Maratona das Cataratas do Iguaçu é da Concessionária Cataratas do Iguaçu S/A e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). A organização é da Associação Procorrer de Incentivo ao Esporte, com promoção da RPC e com patrocínio da Itaipu Binacional, Caixa Econômica Federal e Midi Eletrônicos.


A ASICS é a marca esportiva oficial do evento. A corrida tem apoio do Fundo de Desenvolvimento e Promoção Turística do Iguaçu, Hotéis Mabu Thermas e Resort, Powerade, Confederação Brasileira de Atletismo, e Prefeitura de Foz do Iguaçu.Serviço
5ª Meia Maratona das Cataratas — “Troféu Cataratas do Iguaçu S/A 10 anos”

Data: 3 de julho de 2011
Premiação: R$ 60 mil
Inscrições: R$ 110

www.meiamaratonadascataratas.com.br

H2Foz

Relatório do SIATE aponta trecho mais perigoso da BR 277 em Foz



De acordo com o balanço do Corpo de Bombeiros, no ano passado os socorristas do Siate atenderam a 14 vítimas de atropelamentos e a 34 feridos em 24 acidentes envolvendo automóveis no perímetro urbano da BR-277 em Foz do Iguaçu. Duas pessoas morreram. O trecho mais perigoso, segundo o relatório, é o Km 725 na entrada da cidade, região do bairro Três Lagoas, até a Avenida Costa e Silva.

O excesso de velocidade dos motoristas é a principal causa das colisões, na área onde o limite é de 60 Km/h. Apesar de existir uma passarela para pedestres na rodovia, alguns moradores ainda insistem em atravessar pela pista, se arriscando. “Na maioria dos casos, é a imprudência que acaba fazendo vítimas no trânsito”, analisa o Cabo Bernardo do Corpo de Bombeiros.

A instalação de viadutos na BR-277 em Foz do Iguaçu é apontada por autoridades locais como uma medida urgente para aumentar a segurança de motoristas e pedestres. Na próxima quinta-feira, 30, o ato público “Foz pede Passagem, Viadutos já”, vai mobilizar a sociedade em uma grande corrente por mais segurança na rodovia. A partir das 16 horas, as duas pistas da Avenida Paraná, entre o trevo da BR-277 e a Avenida Araucária, serão interditadas.

O manifesto também quer chamar a atenção do governo estadual para o fim dos congestionamentos no trecho que liga a região da Vila "A" ao centro de Foz do Iguaçu. Nos horários de pico, os motoristas chegam a esperar mais de vinte minutos para atravessar a rodovia. O caminho também é utilizado por ambulâncias do Siate e do hospital Costa Cavalcanti para o transporte de pacientes que precisam de atendimento de urgência.

Outro meio de transporte bastante comum naquele trajeto, é a motocicleta. O presidente da AMOPAR, Associação dos mototaxistas do Paraná, Luiz Carlos dos Santos, alerta para o perigo da travessia.

“Nós trabalhamos sobre uma pressão muito grande naquele trecho, temos que redobrar os cuidados já que transportamos vidas”, diz ele. Os mototaxistas de Foz do Iguaçu também vão participar do Ato Público.

Assessoria Câmara Municipal

27 de jun de 2011

Motoristas e cobradores decidem hoje greve no Transporte Coletivo de Foz


Os  46 mil usuários do transporte coletivo de Foz deverão encontrar problemas para se locomover nesta terça (28). Isso porque os motoristas e cobradores prometem cruzar os braços por tempo indeterminado. A decisão de paralisar as atividades será confirmada, a partir das 18 horas, em assembléia no Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Rodoviário.
A categoria espera uma proposta do Consórcio Sorriso, formado por  empresas de ônibus, para decidir se paralisam as atividades amanhã.  As principais reivindicações são o fim da dupla função, quando os motoristas atuam também como cobrador e a reposição salarial acima da inflação.
O indicativo de greve foi decidido, em assembléia, realizada no último dia 14 de junho, na sede do Sindicato dos Trabalhadores. Na ocasião ficou definido um novo encontro hoje para discutir o assunto.
Caso não haja avanço na negociação, a categoria interrompe a jornada de trabalho em horários que minimizem o transtorno dos passageiros. Segundo informações repassadas pelo Sindicato, a intenção é manter apenas 30% dos ônibus em circulação.
Em recentes entrevistas, o representante do Consórcio Sorriso, Juliano Ribeiro, afirmou que a pauta de reivindicações é extensa e foram feitas duas propostas a categoria, e que as empresas estão dispostas a negociar para evitar a interrupção do serviço.
Um motorista, entre salários e benefícios, chega a receber pouco mais de R$ 1.600,00 e o cobrador pouco mais de R$ 1.000,00. Até o ano passado, os trabalhadores recebiam 30% a mais de salário do que os profissionais em Cascavel, porém, exercem sete horas de atividade em Foz.
A reposição oferecida é de 6,34%, índice da inflação medido no período de abril de 2010 a maio de 2011, e não é considerada a ideal, já que a categoria não adquiriu ganhos reais nos últimos cinco anos.
O Foztrans espera um desfecho positivo da negociação, pois iniciou, desde a semana passada, mudanças no itinerário de linhas que circulam pela região norte e sul da cidade. A greve, justamente neste momento de adaptação, pode atrapalhar ainda mais os passageiros dessas regiões.

Aeroportos de Curitiba e Foz do Iguaçu são prioridades, diz Gleisi Hoffmann

 

Foto: Agência Brasil

A ministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann concedeu, no final de semana, uma extensa entrevista à jornalista Cristiane Ferreira, da Rede Diários do Paraná. Entre os destaques citados por Gleisi estão as prioridades do Governo Federal para garantir melhorias nos aeroportos de Foz do Iguaçu e Curitiba, para a Copa do Mundo de Futebol de 2014, que terá o Paraná como uma das subsedes da competição.
 
“Nós temos dois focos principais agora por causa da Copa, que são os aeroportos de Curitiba e o de Foz do Iguaçu. Curitiba, nós temos a intenção de fazer uma pista adicional, mas nós temos alguns problemas locais, não houve ainda a desapropriação da áreas, o Governo do Estado precisa desapropriar as famílias, retirar do local pra poder investir”.
 
“Estão previstos pra isso R$ 310 milhões, para São José dos Pinhais, que atende Curitiba. A outra, são investimentos de quase R$80 milhões para melhorias de infra-estrutura no aeroporto, em terminais de cargas, de passageiros, melhorias de pista, de estacionamento. Isso já começou a ser feito e para a Copa, nós vamos ter esse aeroporto condizente com a necessidade”.
 
 
 
“E em Foz do Iguaçu, nós temos duas ações, a primeira é um investimento de R$ 30 milhões da Infraero e já começaram os processos de licitação para aumentar a capacidade de passageiros, melhorar a situação de embarque e desembarque, adequações de pista. Estamos discutindo no âmbito do governo federal, também, a possibilidade de o aeroporto de Foz do Iguaçu ser uma concessão, como está se estudando agora para Guarulhos e alguns outros aeroportos”.
 

26 de jun de 2011

Leva!

No horizonte político de Foz, Samek é o pré-candidato favorito a sucessão de Paulo Mac Donald (JIE)

O colunista do portal Jornale, Zé Beto, entrou na onda de especulações sobre a candidatura do diretor Geral de Itaipu Jorge Samek.  De um ex-funcionário graduado da Itaipu que mora há 35 anos na cidade: “Se Jorge Samek se candidatar a prefeito de Foz do Iguaçu, leva. Mesmo sendo do PT”, escreveu o colunista.

Samek é o principal e favorito nome para uma disputa pela prefeitura de Foz no próximo ano. O diretor da Itaipu, em nenhum momento, confirma ou descarta a possibilidade.

Para ele ainda é cedo falar no assunto, espera avançar em conversas com os partidos locais, inclusive com o prefeito Paulo Mac Donald, com quem mantém uma boa relação política, comprovada pela parceria em obras da Itaipu com o Município.

Samek também pretende conversar com a presidente Dilma Roussef e a Ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann. As duas serão responsáveis pela escolha do seu substituto, caso se confirme a candidatura a prefeito da Terra das Cataratas.

Certo é que até março de 2012 o iguaçuense Jorge Samek permanecesse na Itaipu Binacional, já que sua nomeação, assinada pelo ex-presidente Lula segue em validade até ano que vem.

Zé Beto

Gleisi Hoffmann ironiza "Veja" sobre valor de apartamento

Agência Senado

A ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, foi dura na resposta ao colunista Lauro Jardim, da revista Veja, que atribuiu valor e metragem maior ao seu apartamento em Curitiba.

Gleisi foi dura com Veja porque emitiu uma nota de esclarecimento recheada de ironia e bom-humor:

“Sobre o valor de R$ 900 mil, citado na nota: é claro que meu apartamento valorizou-se nestes oito anos após a compra, mas, se Lauro Jardim ou o corretor que, diz ele, avaliou o imóvel, desejarem comprá-lo por este preço, podemos conversar”, diz um trecho da nota da ministra.

A seguir a íntegra da nota divulgada pelo Palácio do Planalto:

“Sr. Lauro Jardim
Editor da Coluna Radar
Revista Veja


O apartamento que possuo em Curitiba tem menos de 190 metros quadrados de tamanho e não 412 metros, como afirma nota divulgada hoje, 25, no Radar on-line. Há outros erros na nota. A saber: diferentemente do que informa Lauro Jardim, a lei não permite, mas DETERMINA que o valor declarado ao Imposto de Renda seja o de compra. Assim, o apartamento, que adquiri em 2003, tem sido declarado pelo valor de compra desde a declaração de 2004. Sobre o valor de R$ 900 mil, citado na nota: é claro que meu apartamento valorizou-se nestes oito anos após a compra, mas, se Lauro Jardim ou o corretor que, diz ele, avaliou o imóvel, desejarem comprá-lo por este preço, podemos conversar.
Gleisi Hoffmann”

Blog do Esmael Morais

A tirania do craque

Foto: Wagner Meier
Ronaldinho Gaúcho foi eleito duas vezes o melhor jogador do mundo. Em 2002, ele foi um dos principais atletas que conquistou o penta com a “Família Scolari”, no Japão. No Barcelona, o “dentuço” extrapolou os limites da física nos gramados.
Fez acrobacias com a bola.  Inventou dribles que atordoaram os adversários e foram imitados em milhares de campos improvisados do Brasil.
Porém, Ronaldinho, agora no Flamengo, vive sob pressão. Não é nem a pressão da torcida que o incomoda. Com certeza viu graça na “pegação de pé” de alguns que criaram o “Disque Dentuço” para vigiar a sua vida noturna.
 O jogador vive um dilema de que só ele e tantos outros craques da história poderiam enfrentar. Ronaldinho é refém do seu próprio talento. Vive sufocado pela tirania da alta performance.  
A cada toque na bola se vê na obrigação de criar uma jogada brilhante. Os rubro-negros aguardam isso. A diretoria do Flamengo trouxe o atacante pensando nisso.
O dever de acertar é maior do que o direito de errar.  Precisa provar a si mesmo do que é capaz, mas ao mesmo tempo sabe que não desaprendeu nada daquilo que tornou-o melhor do mundo.
Nem a torcida sabe o que esperar. No jogo contra o Avaí de uma arrancada, fez um golaço, tabelou e só não fez chover.


Claro, ele não tem a mesma idade ou arrancada, mas a esperança em rever o futebol de alto nível havia voltado. Ledo engano. Passaram-se cinco jogos e apenas alguns bons passes. Longe de impressionar.
No último jogo contra o Botafogo, o jogador cometeu faltas ao estilo zagueiro que não perde a viagem. Foi substituído sob vaias. Treinou normalmente a última semana, enquanto seu irmão e empresário, Assis, prometia controlar as noitadas no Rio de Janeiro.
Ontem, no duelo com o Atlético Mineiro, acabou o primeiro tempo e as vaias surgiram novamente. Seria mais um dia de Ronaldinho "vilão"? Não foi. O camisa 10 só precisou de um lance para mostrar categoria.
Colocou a bola no anglo como se fosse com a mão. Antes de ver toda a trajetória da bola já saiu comemorando. A comemoração foi diferente. Ronaldinho fez uma saudação japonesa, demonstrando respeito e reverência aos torcedores.
Time e torcida fizeram as pazes. Até o atacante Deivid, um dos mais criticados, fez dois gols, um com um chute indefensável. O Atlético apequenou-se. Parecia estar em sintonia com a apatia. A goleada de 4 x 1 satisfez a torcida vermelho e preta que gritou o nome de Ronaldinho até o final da partida.
Enquanto Ronaldinho não conseguir resolver esse dilema continuará, a cada rodada do Brasileirão, provando o gosto amargo ou doce de ser um craque.

25 de jun de 2011

William Bonner e Fátima Bernardes se encantam com a verdadeira imagem de Foz do Iguaçu


Casal e os três filhos posam no tradicional ponto de visita na Itaipu (Foto: Itaipu)

Os apresentadores do Jornal Nacional, William Bonner e Fátima Bernardes, juntamente com os três filhos visitaram Foz do Iguaçu durante o feriado prolongado de Corphus Crhisti. Entre os passeios conheceram a Itaipu Binacional e as Cataratas do Iguaçu. Os perfis da Itaipu Binacional no Twitter e Facebook divulgaram fotos do passeio do casal.
O apresentador (@realwbonner), que tem 1.648.964 seguidores no Twitter, fez um comentário positivo sobre a viagem. “Que lugar surpreendente esse. Que dias intensos! Foz do Iguaçu é um barato. Vergonha ter demorado tanto para conhecer”. A mensagem foi postada novamente por 1313 pessoas na rede de compartilhamento.
Bonner e Fátima, acostumados a apresentar imagens negativas da cidade no mais famoso telejornal brasileiro, agora puderam conhecer a verdadeira face da capital de uma das Sete Maravilhas do Mundo.
A opinião do jornalista, que postou também uma foto aérea das Cataratas do Iguaçu no microblog Twitter, mostra que, apesar de alguns veículos de mídia no país, inclusive em algumas ocasiões a Rede Globo, insistirem em difamar a tríplice fronteira, é difícil alguém resistir aos encantos da Tríplice Fronteira.

Com ClickFoz

Voar, voar, voar...Aeroricha está de volta

Charge Jair R. Santos
O governo do Paraná voltou a abrir licitação para o aluguel de um avião a jato para servir ao governador Beto Richa. A solicitação foi feita no dia 30 de maio, mas só foi publicada no Diário Oficial na quarta-feira, véspera de feriado.O governo pretende pagar até 22 reais por quilômetro voado, o suficiente para dar seis voltas e meia ao redor do planeta Terra. O aluguel por um ano pode custar até cinco milhões, 913 mil reais.

O executivo havia cancelado uma licitação para o fretamento de uma aeronave, depois que o aluguel de um avião pela Assembleia Legislativa, apelidado de Aero-Rossoni, ser bastante criticado.

Agora, Beto Richa voltou a abrir o processo. No início do ano, o executivo fretou um avião e um helicóptero emergencialmente, pertencentes a empresa Helisul, sem licitação, por três meses, com um custo de dois milhões de reais.

Atualmente, tramita na justiça um pedido de informação do deputado estadual Tadeu Veneri (PT), que fez uma série de questionamentos sobre o contrato emergencial. O governo tem até a próxima quinta-feira para enviar os esclarecimentos à Assembleia Legislativa.

Caso contrário pode ser obrigado a pagar uma multa de 10 mil reais.

Blog da Joice

24 de jun de 2011

PEC da Sáude: Nova regra impedirá chuncho de Requião e Beto Richa

Separados politicamente, unidos em não cumprir gastos na saúde


O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, anunciou que votará na primeira semana de julho a regulamentação da emenda 29 da Constituição. Trata-se da melhor notícia para a saúde dos brasileiros em muito tempo.

Hoje, a Constituição manda que os governos estaduais gastem 12% de suas receitas correntes líquidas com saúde. Mas, no Paraná, por exemplo, faz-se historicamente um chuncho para fingir que a norma é cumprida.

Tanto Lerner quanto Requião usavam verbas não ligadas diretamente à saúde para complementar os 12%. E diziam que fazer esgoto, por exemplo, reduz doenças. Assim, contavam a verba de saneamento como sendo de saúde.

É verdade: fazer esgoto ajuda a prevenir doenças. Mas isso não quer dizer que o estado possa gastar menos do que 12% em saúde de fato, como manda a lei.

Como a regra não era clara, agora faz-se a regulamentação e impede-se o chuncho. O que, aliás, é providencial para os paranaenses.

Antes de assumir o governo, Beto Richa disse que não repetiria o chuncho dos antecessores. No entanto, na Lei de Diretrizes Orçamentárias que enviou à Assembleia, prevendo o orçamento de 2012 com o programa Leite das Crianças fazendo parte da verba da saúde.

Rogério Galindo - Caixa Zero

23 de jun de 2011

Foz quer um nome da Itaipu


Pesquisas para consumo interno, realizadas pelo PT, demonstram que o quadro está muito favorável ao partido em Foz do Iguaçu. O sonho dos iguaçuenses é ter uma administração municipal igual à de Itaipu. E é de Itaipu que deverá sair o candidato a prefeito pelo partido, pra defender todas as conquistas obtidas pela cidade nos últimos anos.

O nome do diretor-geral brasileiro da usina, Jorge Samek, é o favorito. Seria uma candidatura de aclamação. Já o nome do superintendente de comunicação social e presidente do Fundo Iguaçu, Gilmar Piolla, embora sem filiação partidária, aparece como alternativa de renovação da política local, caso Samek decida permanecer no comando da Itaipu.

Ambos têm perfil agregador e são vistos como capazes de dar um salto de qualidade na gestão municipal, liderando um projeto estratégico para Foz do Iguaçu. O deputado Reni Pereira, por sua vez, apesar da alta popularidade, larga na frente, mas tende a perder fôlego.

Sua candidatura é vista nas qualitativas como sem personalidade. Ele tem liderança fraca e perfil desagregador. Além disso, ele não consegue unir o seu próprio partido, o minúsculo PSB.

Boca Maldita

Burocracia engessa 40 mil sacoleiros

Foto: Agência Brasil

Passados seis meses de seu lançamento pela Receita Federal, o RTU (Regime de Tributação Unificada) ainda não decolou. A Lei dos Sacoleiros, como é conhecida, já poderia estar beneficiando perto de 200 empresas de todo o Brasil, não fosse o entrave burocrático. Essas empresas já apresentaram a documentação para a RF tornando-se habilitadas para usufruir dos benefícios. Isso, é claro, se o Regime já estivesse funcionando na prática. A região da fronteira conta com um universo de 40 mil sacoleiros.

As novas regras de importação diferenciadas se restringem à entrada de produtos via terrestre, por intermédio da fronteira entre Brasil (Foz do Iguaçu) e Paraguai (Cidade do Leste), a ser feito por microempresários optantes do Simples Nacional já cadastrados ao RTU.

A alíquota – reunindo todos os encargos federais para a legalização -, é de 25%. O imposto único não inclui os tributos municipais e estaduais. Em suma, a lei permite a legalização da atividade desenvolvida por milhares de compristas que sobrevivem do comércio de produtos oriundos do vizinho país. A procura pela legalização da atividade é lenta. Decreto autoriza apenas a aquisição de eletrônicos e materiais de informática. Itens como brinquedos e utensílios de cozinha em larga escala ainda estão proibidos. O grande dilema ainda envolve o sistema unificado entre Brasil e Paraguai.

Das 187 empresas inscritas, 52 estão sediadas no Paraná e 22 somente em Foz do Iguaçu. Os outros estados com maior número de habilitações são São Paulo, com 32 empresas, Rio Grande do Sul, com 20 e Santa Catarina com 19. Os números comprovam que a maioria dos interessados em trabalhar por intermédio do Regime de Tributação Unificada é do Sudeste e Sul do País.

De acordo com Ivair Luiz Hoffmann, da assessoria de imprensa da RF em Foz do Iguaçu, grande parte das empresas não obtém êxito na habilitação em um primeiro contato. "É necessária uma documentação complementar, bastando comprovar o enquadramento no Simples".
A princípio, a expectativa inicial é de que o sistema passe a operacionalizar em outubro ou novembro. 

Com a criação do Regime de Tributação Unificada, sacoleiros passam a ser conhecidos como microempresários.  O RTU permite a importação, via terrestre, de mercadorias oriundas do Paraguai, na fronteira entre Foz do Iguaçu e Cidade do Leste. A entrada em operação depende do módulo informatizado integrado.

Vandré Dubiela - O Paraná

22 de jun de 2011

Pesquisa revelará perfil de quem utiliza a Ponte da Amizade




Mapear o perfil das pessoas que passam pela região primária da Ponte Internacional da Amizade (PIA). Esta é a missão de universitários da UDC a partir das 6h da manhã desta quinta, 23. O levantamento segue até o dia 30 de junho. A informação sobre o início da pesquisa foi postada no microblog Twitter e no perfil do Facebook da faculdade.

Pela primeira vez, desde a contrução da Ponte - que separa Foz do Iguacu de Ciudad Del Este - há mais de 40 anos, uma pesquisa deste porte é realizada. O resultado vai revelar com detalhes quem são, onde vivem, o que pensam e sentem as pessoas que atravessam a fronteira mais movimentada do país.

As informações ajudarão os acadêmicos, a instituição e a Receita Federal a formar uma identidade de quem usa o acesso para trabalhar, comprar ou visitar.

A Fundação Nosso Lar, entidade assistencial de Foz, também realizou uma pesquisa na Ponte da Amizade. O objetivo era descobrir o perfil das crianças e adolescentes que viviam situação de risco na fronteira.

Foram descobertos inúmeros casos de meninos e meninas brasileiras que buscavam renda no Paraguai e também crianças do país vizinho que atravessavam a Ponte em busca de dinheiros nas ruas de Foz.

Essa realidade foi descrita no livro Abandono, Exploração e Morte. A publicação é de autoria de Valtenir Lazzarini  e foi editada pela Fundação Nosso Lar, Instituto Elos e Itaipu Binacional. (Foto: Roger Meireles)

O céu colorido de Carol Cañete


Nem todo dia o céu é azul. Dependendo do clima e, principalmente nas horas de despedida do sol, Foz ganha um céu alaranjado, vermelho, rosa, enfim, as cores do mundo. E são essas cores que a câmera da publicitária Carol Cañete registra.

“Trabalho com redatora, brinco de ser fotógrafa e aprendo todo dia a dura vida de ser adulta”, se define. Em suas fotos, sua cidade natal em tons que nem sempre prestamos atenção. Uma paleta de coloração fantasiosa.

Segundo Cañete, Foz é privilegiada por um céu tão único. “Aqui a cor é natural, diferente do de uma metrópole como São Paulo, por exemplo, que é cinza”, explica. E, mesmo quando os tons mais frios insistem em aparecer por aqui, o arco-íris quebra a seriedade e dá nova vida ao dia. Leia mais...

Letícia Lichacovski - H2FOZ

Veja mais fotos de Carol Cañete AQUI

“ A ajuda da ministra Gleisi Hoffman é fundamental”, afirma secretário de Esportes

Investimento no Centro Olímpico é de R$ 21 milhões

O secretário de Esportes, Márcio Ferreira, segue otimista na cruzada do Município para construir um Centro Olímpico na Vila A.  A motivação vem da nomeação da senadora, Gleisi Hoffman, para o Ministério da Casa Civil. De acordo com ele, um primeiro contato já foi realizado com a assessoria da ministra, e após a composição de equipe de trabalho na Casa Civil, uma reunião será agendada.
O assunto em pauta é a liberação de recursos para o Centro Olímpico. O projeto audacioso inclui a construção de um ginásio para sete mil pessoas, um campo com arquibancada com capacidade para três mil expectadores, uma pista de atletismo, um alojamento, complexo aquático com piscinas olímpicas e outros campos de treinamento.

A ajuda da ministra Gleisi Hoffman é fundamental. Existe R$ 200 milhões disponíveis no Ministério do Esporte para infraestrutura em esporte de alto rendimento. O apoio político pode ajudar na liberação dos recursos”, acredita Ferreira.
O secretário de Esportes comentou que no ano de 2010 o Ministério dos Esportes liberou R$ 100 milhões, mas os projetos das cidades não atenderam os requisitos básicos, e o dinheiro nem saiu dos cofres federais. O contrário ocorre com a proposta iguaçuense.


"Foz recebeu 28 mil atletas no ano passado", diz Ferreira (Foto: Blog do Mafra)
 
“O projeto segue os padrões solicitados. Diferente dos outros municípios, Foz tem uma estrutura hoteleira e de aviação suficiente para sediar competições internacionais, principalmente ser subsede de uma seleção na Copa de 2014. O que nos falta é a estrutura esportiva”.
O valor do Complexo Esportivo é de R$ 21 milhões. Em julho, já está programada uma rodada de reuniões no Ministério dos Esportes  Uma das soluções discutidas entre o secretário e os representantes do Governo Federal foi a separação das obras do projeto.
“Visando a proximidade da Copa, surgiu a ideia de que as chances de aprovação cresceriam com a liberação de  recursos para a construção do estádio e outros campos de treinamento, além do ginásio,  o que facilitaria a escolha de Foz para recepcionar uma das seleções do Mundial em 2014. A pista de atletismo e as piscinas entrariam em outro pacote de obras”, explicou.
Ferreira também comentou que nos próximos meses Foz será palco de importantes jogos de basquete e futsal. A cidade receberá jornalistas de todo o país. “A licitação já foi aberta e o Ginásio Costa Cavalcanti receberá um investimento de R$ 500 mil para sediar partidas destas duas modalidades”.
Em julho, Falcão, o melhor jogador de futsal do mundo, estará em quadra com Seleção Brasileira para enfrentar o Paraguai. Entre os dias 24 e 26 de agosto é a vez dos atletas do basquete brasileiro disputar um torneio de preparação  para o Pré-Olímpico na Argentina. A Copa Jenaro Tuto Marchand vai reunir astros das seleções do Brasil, Canadá, Porto Rico e República Dominicana. O evento terá apoio de Itaipu e Eletrobrás.

Justiça dá prazo para o governador Beto Richa explicar contrato de aluguel com a Helisul

Charge do publicitário Jair R. Dos Santos

O Estado tem até a quinta-feira da semana que vem para prestar esclarecimentos sobre o aluguel de um avião e um helicóptero por três meses no valor de R$ 2 milhões. A determinação é do desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná Telmo Cherem. O deputado Tadeu Veneri (PT) fez um pedido formal de explicações há dois meses, que foi aprovado pela Assembleia Legislativa. No entanto, as informações não foram repassadas. Ele entrou na justiça para obrigar o estado a prestar os esclarecimentos.

O TJ determinou que, caso o executivo não divulgue as informações, o governador Beto Richa, o procurador geral do estado, Ivan Bonilha, o chefe da Casa Civil, Durval Amaral, e o chefe da Casa Militar, Adilson Casitas, serão multados em 10 mil reais por dia. Tadeu Veneri quer saber, por exemplo, quais as especificações das aeronaves, detalhes do contrato e da empresa contratada e de quem são os aviões.

O convênio com a Helisul terminou no último dia 10 e não foi renovado. A contratação foi feita emergencialmente e não passou por licitação. (Blog da Joice)

Estado deixou de repassar R$ 1,8 mi de custeio ao Hospital Municipal


Desde dezembro, o Hospital Municipal não recebe nenhum recurso do Estado. Até o final do ano passado, o governo paranaense garantia o envio de R$ 300 mil mensais para o custeio do hospital.

Em janeiro, o governador Beto Richa decretou moratória para analisar as contas e interrompeu vários repasses aos municípios. Porém, após seis meses, o recurso ainda não voltou a ser enviado à prefeitura de Foz.

Na prática, o Hospital Municipal já pode ser considerado uma unidade de atendimento regional. Apesar de não receber verbas para ajudar no funcionamento, a prefeitura segue atendendo pacientes vindos de cidades vizinhas.

O custo de atendimento em alta e média complexidade, bancado exclusivamente com o dinheiro do contribuinte iguaçuense, aumentou nos últimos meses com a demanda de pacientes da região. Hoje, o valor de R$ 300 mil é insuficiente. É necessário R$ 1 milhão ao mês, apontou o prefeito Chico Brasileiro.


“É claro que isso não é bom, no entanto não estamos, de forma nenhuma partindo para o confronto, ao contrário estamos tentando o diálogo através do chefe da Regional de Saúde, Dr. Odair, que está intermediando a questão junto ao Governo. Esperamos que o impasse seja resolvido e venhamos a receber esses recursos de forma retroativa, pois a Prefeitura está arcando sozinha com todos os gastos”, afirmou.

Com a palavra nossa “força” política junto ao Governo do Estado. O povo precisa de resposta.

Noticias do Front

21 de jun de 2011

TCE autoriza uso de royalties na folha de pagamento



Atendendo pedido feito pela Amop (Associação dos Municípios do Oeste do Paraná) e Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu, o TCE (Tribunal de Contas do Estado) aprovou instrução normativa que adota consenso nacional sobre metodologia de apuração da receita corrente líquida e do limite de gastos com pessoal, previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

A instrução, aplicável a municípios e ao Estado, detalha a classificação da despesa de pessoal e encargos. Com esta orientação, municípios e Estado têm ampliação na base de cálculo da folha de pagamento.
Com a medida, os royalties pagos pela usina de Itaipu aos municípios que tiveram área alagada com a construção da usina voltam a compor integralmente a receita corrente líquida, podendo ser incluídos na sua totalidade para efeitos de cômputo de gastos com pessoal.

Até então, em virtude de TAC (Termo de Ajuste de Conduta) firmado em 2008 entre prefeituras e TCE, todos os anos era lançado um gatilho redutor de 5,85% na rubrica de recursos livres dos royalties para recursos vinculados. Na prática, significava que os recursos não poderiam ser mais utilizados na folha de pagamento do funcionalismo.

“Isso não significa que os royalties serão utilizados para o pagamento de despesa com pessoal, mas vai alterar o cálculo que se fazia para a composição da receita corrente líquida. Isso vai melhorar a situação das prefeituras, pois os índices com pessoal vão diminuir”, explica o prefeito de Entre Rios do Oeste e presidente do Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu, Elcio Zimmermann. Em alguns municípios, como Missal, o gasto com os funcionários já estava quase passando dos 54%.

O pagamento de royalties aos municípios que tiveram áreas alagadas segue até o ano de 2023. O maior recurso é pago a Santa Helena. Foz do Iguaçu é a segunda cidade na lista do repasse.

O Paraná

20 de jun de 2011

Ato Público pela construção de viadutos será realizado dia 30

Vereadores conversam com representantes sobre detalhes do ato
Foto: Rodrigo Monzon

“Foz pede Passagem, Viadutos já”! Esse é o slogan da campanha que vai mobilizar os moradores de Foz do Iguaçu, no próximo dia 30 de junho. A manifestação será às 16 horas, entre a rotatória da Avenida Paraná, BR-277, e a Avenida Araucária (antiga Avenida I, Floresta Clube). A iniciativa da Câmara de Vereadores, através do requerimento Nº 128/2011, ganhou o apoio de várias entidades, igrejas, sindicatos e lideranças comunitárias.

O ato público é uma forma de pressionar as autoridades estaduais e federais para a construção de viadutos e trincheiras na rodovia. Os pontos considerados críticos no perímetro urbano da BR-277 em Foz do Iguaçu e indicados para receber as obras são: os trevos de acesso à Vila A, CTG Charrua, Avenida Costa e Silva, Portal da Foz e Avenida Beira Rio. A proposta da Comissão organizadora do manifesto é um movimento pacífico com faixas, carros de som e distribuição de panfletos e adesivos aos moradores e motoristas que sofrem com os congestionamentos no trecho.

“É um risco diário, as pessoas querem mais segurança no trânsito e facilidade para se deslocar do centro até a região norte da cidade, o viaduto deve ser prioridade”, afirmou o presidente da Câmara de Vereadores, Edílio Dall’Agnol.

Há mais de dez anos, o governo Federal repassou a administração do trecho urbano da BR-277 em Foz do Iguaçu para o governo estadual, que acabou privatizando a rodovia. Segundo o vereador Nilton Bobato, Presidente da Comissão das Estradas Federais, o projeto de construção dos viadutos já existe e a obra teria sido licitada pelo antigo DNER.

“No contrato, consta a manutenção de três viadutos, não sabemos ainda se estamos pagando esse ônus na tarifa de pedágio; o fato é que não podemos esperar mais, os canais de negociação foram abertos e não andaram”, disse o vereador.

No mês passado, o Secretário Estadual de Infraestrutura, José Richa Filho, se comprometeu a visitar a cidade com uma equipe técnica para avaliar a situação do tráfego na rodovia, mas até agora não apareceu.

Diante dessa demora para resolver a questão, o vereador Zé Carlos apresentou o requerimento pedindo a realização do ato público. “É uma luta de toda a sociedade, o município se desenvolveu bastante naquela região. Temos várias escolas e universidades, precisamos construir uma alternativa urgente para desafogar o trânsito”. (Assessoria Câmara)