14 de set de 2011

Ministro do Turismo mostra o pior lado da política brasileira

Renato Araújo/AB

A presidente Dilma deu entrevista exibida pelo Fantástico neste domingo falando que essa história de "toma lá, dá cá" com os partidos aliados não é bem assim. Que ela não deu a nenhum aliado nada que não tenha desejado: afinal, é um governo de composição. 
Só falou o óbvio: que o modelo de governo no Brasil é esse, o do tal presidencialismo de coalizão. Ou seja, com partidos fragmentados, é preciso ter várias legendas do seu lado para ter maioria. E em troca desse apoio, permite-se que os partidos tenham cargos no governo.
O ministro do Turismo, Pedro Novais, é o fruto mais típico desse sistema. Não serve para ministro. Não entende de Turismo. Não tinha nada que estar em governo nenhum. Mas está lá simplesmente porque o PMDB exigiu um certo número de ministérios. E dois deles tinham de ser para deputados federais.
Novais é uma nulidade. A própria Dilma reconheceu isso ao demorar sete meses para permitir que o ministro entrasse em seu gabinete para uma audiência. Não há uma novidade boa saindo do ministério. Nem vai haver, se depender do ministro.
Pedro Novais é um remanescente da antiga Arena. Ou seja: apoiou a ditadura. Ajudou Sarney a transformar o Maranhão no feudo corrupto e atrasado que é até hoje. Como recompensa, parace ter ganhado a eterna gratidão do presidente do Senado.
Depois que começaram a estourar os primeiros escândalos de Novais, Sarney negou sua indicação. Afinal, o homem foi pego pagando motel com dinheiro público e foi em seu ministério que teve início a Operação Voucher, que levou três dúzias de pessoas para a cadeia.
Agora, dizem que o ministro pagou a sua empregada com dinheiro público. Sarney obviamente vai querer cada vez mais distância do aliado. Dilma, portanto, finalmente poderia demiti-lo.
Resta ver se a presidente terá vontade de enfrentar a quinta troca de ministro em nove meses de governo. É mais provável que espere. Enquanto isso, sabe-se lá que outra barbaridade Novais vai aprontar.
Mas, sabe como é, diria algum governante: é assim que as coisas são...

Rogério Galindo - Caixa Zero

Um comentário:

gulliver21 disse...

Sou profissional de turismo , trabalhando no ramo aqui desde 2000 e realmente percebi porque o turismo receptivo internacional nem chega a 20 % do seu potencial, por vários motivos burocráticas seja federais, estaduais e municipais. Falta gente competente em todos os segmentos.
Antes que o pais se afunda ainda mais neste setor tão importante econômico precisamos mudanças !
Jan Hillen
Guayi Travel