12 de ago de 2011

A violência urbano e o crime organizado por Carlos Amorim



Os últimos três dias do Salão Internacional do Livro serão recheados de atrações envolvendo teatro, música e literatura. Nesta sexta-feira, será o Dia da Dramaturgia, quando o público poderá assistir a cinco peças teatrais, além de debates e mesas-redondas sobre a escrita para o teatro e o teatro contemporâneo.

Outra atração do dia será o encontro com o jornalista Carlos Amorim, que vai falar sobre "Violência Urbana e Crime Organizado no Brasil". Ele foi repórter especial de "O Globo"; chefe de redação do "Globo Repórter"; editor-chefe do "Jornal Nacional" e diretor-geral do "Fantástico". Foi um dos responsáveis pela criação do Domingo Espetacular da TV Record. Criou, ainda, a série "9mm: São Paulo", atualmente exibida na tevê a cabo.

Escreveu três livros sobre o crime organizado: "Comando Vermelho", o qual lhe rendeu o Prêmio Jabuti de 1994; "PCC- A Irmandade do Crime e Assalto ao Poder" - finalista do Prêmio Jabuti de 2010, lançado em outubro. A diversificação de seus trabalhos rendeu-lhe vários prêmios no Brasil e no exterior. Assumiu, recentemente, um cargo de direção na TV Bandeirantes.



Palestras e lançamentos 

No sábado, oficinas, palestras e lançamentos de livros movimentam a festa da literatura de Foz do Iguaçu. Ildo Carbonera e Cidinha Hosoya ministram oficinas sobre música, letra e poesia. O jornalista, colunista e escritor Rogério Bonato lança seu livro "Obesus Insanos".

Ainda na programação sessões de autógrafos e palestras com grandes nomes do jornalismo brasileiro: Roberto Sander e Jorge Oliveira.

Sander, que atuou em alguns dos principais veículos do país, na TV Globo trabalhou como repórter especial do Globo Esporte e Esporte Espetacular. Foi ainda comentarista da Sportv e diretor de redação do Jornal dos Sports, do Rio de Janeiro, conversará com o público sobre "O olhar do repórter na história".

Jorge Oliveira terá um encontro com acadêmicos, professores e jornalistas sobre "O jornalismo no cinema e na literatura". Trabalhou nos jornais Última Hora, O Globo e Jornal do Brasil. Escreveu cinco livros, entre eles "Quem Matou Delmiro Gouveia - O industrial do sertão", "Manual de marketingpolítico" e "Curral da Morte", sobre o sindicato do crime em Alagoas. 

Nos últimos anos desenvolveu intenso trabalho como documentarista. Foi roteirista e diretor do longa "Perdão, Mister Fiel", onde reconstitui a tortura e o assassinato do operário Manuel Fiel Filho, nas dependências do DOI-CODI de São Paulo, episódio que chocou o país e provocou a exoneração do então ministro de Guerra, Silvio Frota, no governo Geisel.

Música e poesia

O último dia de evento tem um programa mais leve. Os visitantes poderão participar de contação de histórias, apresentações de teatro sobre a multiplicidade cultural da cidade; dança árabe e Grupo Agnus. 

(Da assessoria)

Nenhum comentário: