1 de jul de 2011

Ex-diretores usavam o Sindicato dos Servidores como "banco particular"

Ex-presidente Nídia Benitez não entregou balanço contábil de 2007 a 2010 do Sismufi

Os servidores públicos estão recebendo o primeiro exemplar do jornal do Sismufi. A diretoria eleita trouxe uma história assustadora sobre a má gestão da ex-presidente Nídia Benitez. Segundo os atuais diretores, Nidia administrava a instituição como “banco particular”.

Foram encontrados indícios de sonegação de impostos e espécie de “empréstimos mensais” aos próprios integrantes da diretoria executiva. Cada um assinava um recibo de R$ 3 mil sem qualquer justificativa. Em seis meses, eles “sacaram” mais de R$ 50 mil. Nào foi encontrada qualquer autorização em assembléia sobre o ato.

Os advogados do Sindicato já fizeram um pedido de busca e apreensão dos documentos da contabilidade de 2007 até julho de 2010. Segundo o contador da gestão passada, o balanço contábil com todas as receitas e despesas estão na casa da ex-presidente.

Também foi encontrada uma dívida de R$ 265 mil do Sismufi com uma empresa de plano de saúde. O presidente Valter Ferreira disse que fará uma auditoria porque, de acordo com ele, nos últimos dois anos o Sindicato teve uma receita de quase R$ 1 milhão e o caixa foi encontrado com pouco mais de R$ 6 mil em maio deste ano.

Observatório Global

Nenhum comentário: